Coronavírus: Isolados do mundo, unidos ao essencial.

Estava pensando sobre toda essa situação relacionada ao Coronavírus, principalmente sobre o isolamento. Parece que esse vírus conseguiu desacelerar tudo. O trânsito em São Paulo já não congestiona. Os aeroportos já não lotam. As ruas movimentadas agora estão desertas. As pessoas tem até tempo para…cantar.

Preciso dizer que me senti tocada ao ver as imagens das pessoas em isolamento na Itália, juntas em suas sacadas, cantando umas com as outras, umas para as outras. Juntas, mesmo que separadas, tentando passar por esse momento atípico, de apreensão e ansiedade para muitos.

Muitos estão sendo forçados a estar em suas casas e é nisso que penso. Nessa convivência de famílias juntas. Podemos ver essa situação como algo terrível mas penso que esse é um momento que, se podemos ser Pollyanna e jogar o jogo do contente, muitas famílias podem ter esse momento para elas, para socializarem entre si, para estreitarem os seus laços ou até mesmo sarar relacionamentos quebrados. É preciso querer, é claro.

Afastados do resto do mundo, unidos aos relacionamentos mais essenciais. Desacelerados. Sem saber o que fazer. Agora podemos ver o que realmente importa, do que realmente precisamos cuidar. Precisamos cuidar uns dos outros.

Se existe um momento para desenvolvermos a empatia, caso ela não faça parte de nós, esse momento é agora. Temos a oportunidade de olhar para o outro que é mais frágil e de cuidar dele. Temos a oportunidade de olharmos para a nossa família e agradecermos por ela existir. Refletir sobre a vida, sobre o que importa.

Esse vírus levou muitas vidas e trouxe a apreensão. Se há algum presente que ele possa nos ter trazido foi o parar. Foi o desacelerar. Isso já não é tão fácil para nós que nos acostumamos com a correria do dia-a-dia mas agora é necessário. Uma quarentena forçada, para cuidar da saúde e da alma. Para cuidar e amar o próximo, esteja ele na minha casa ou na casa ao lado.

Acima de tudo, é um tempo para confiar no nosso Pai. Ele disse:

Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus; serei exaltado entre as nações; serei exaltado sobre a terra.

Salmo 46: 10
Precisando fortalecer sua confiança em Deus? Acompanhe os vídeos devocionais dos 40 Dias de Confiança

Não precisamos temer, precisamos nos aquietar e saber quem é o nosso Deus. Precisamos confiar. A fé passa por testes. Esse pode ser um deles para alguns de nós. Eu espero, do fundo do meu coração, que sua fé seja fortalecida nesse momento, onde você estiver. Eu desejo que Deus proteja a você e a sua família e que você olhe para cada pessoa que está ao seu redor e valorize a vida de cada uma delas.

Eu espero que vocês cantem juntos, relembrem seus bons momentos, relembrem porque se amam e que se há algo que esse vírus possa fazer na sua vida, seja o de te unir a partir de agora, ao que realmente tem valor!

Fique calma, fique bem! Deus tem olhado por cada um de nós!

Com carinho,

Andressa.

Quando Deus escreve sua história de amor.

Essa podia ser a resenha de um livro que leva o mesmo nome mas na verdade é a narrativa da minha história de amor escrita por Deus.

Tudo começou em 2015 e o desfecho da história durou 1 ano e meio para acontecer. Quando olho pra trás vejo que foi muito rápido mas quando estava vivendo parecia uma eternidade.

Eu morava em Curitiba com uma amiga. Estava no 2º ano da faculdade e de repente surgiu aquela vontade de reler um livro que eu tinha ganhado da minha tia em 2011. “Quando Deus escreve sua história de amor” de Eric e Leslie Ludy. Em 2011 a ideia do livro não fez sentido nenhum pra mim. Eu não estava pronta pra receber aquela mensagem e muito menos a benção de ter uma história escrita por Deus. Eu era como a dracma da parábola: Perdida dentro de casa. Mas em 2015 as coisas eram bem diferentes.

Pra contextualizar preciso dizer que nunca fui boa com essa coisa de “conhecer pessoas” no sentido romântico da palavra. Sempre me achei bem inadequada e nunca sabia interpretar sinais e transmitir sinais para o sexo oposto. Eu não fazia ideia como eu namoraria alguém sendo como eu era. Depois percebi que não ser super experiente nisso era muito mais uma benção do que uma maldição. Deus cuida de tudo. No começo de 2015 eu resolvi que queria ser diferente, fazer amizades com rapazes, conhecê-los e etc. Não deu muito certo. No mesmo ano, em abril, eu passei por uma cirurgia na boca para consertar a minha arcada dentária. Aquele foi um baita golpe na minha auto estima que não era das melhores. Só pra descrever por cima, depois da cirurgia eu tive que começar a “ativar” o expansor que eu tinha no céu da boca. Se você já usou um desses quando criança sabe que esse aparelho faz com que a arcada dentária se expanda. Quando você é criança é tranquilo mas quando você tem 24 anos, mora longe de casa e faz faculdade, ter um aparelho na boca que faz seus 2 dentes da frente se separarem a ponto de ficarem uns 5 milimetros longe um do outro, é bem complicado. Imagine você com aquele baita espaço entre os dentes…da frente. Ok, esse plano de conhecer rapazes foi adiado e a recuperação dessa cirurgia durou meses. Na metade de 2015 eu quis reler aquele livro. Só posso dizer que AMEI a leitura!

O livro é dividido em capítulos escritos por Eric e Leslie. Em 2011 eu me lembro de ter detestado os da Leslie mas em 2015 eles se tornaram os meus capítulos preferidos! Percebi que eu já fazia muito do que eles descreviam no livro mas sem um propósito. Foi então que eu descobri o grande propósito que Deus tinha para essa área da minha vida. Eu não precisava ficar ansiosa tentando encontrar a pessoa certa. Meu Pai celestial tinha UM homem separado pra mim, em algum lugar e se eu permitisse que Ele me ajudasse a escolher, Ele nos uniria. Então, como um convite dentro do meu coração, eu aceitei esse chamado e passei a esperar pela direção de Deus.

Foram altos e baixos. Tive que aprender muita coisa. Muita coisa aconteceu ao mesmo tempo, quando esperava pelo meu futuro marido. Comecei a orar por ele sem nem mesmo saber quem era ou se ele existia (Vai que Deus não tinha o casamento escrito na minha história?) Mas orava todos os dias, pedindo bençãos e forças para ele. Descrevia as boas qualidades que eu esperava que ele tivesse, dizia sempre que eu queria ver Jesus nesse homem.

Jesus, ele é o grande ponto. Ao esperar pelo meu marido, o meu relacionamento com Cristo cresceu muito. Eu passei a conhecê-lo mais de perto, a amá-lo, a ver o quão cavalheiro ele era. Chegou um momento desse relacionamento em que eu senti no meu coração que ainda que eu não me casasse, eu estava satisfeita com meu Jesus. Ele supria tudo. Foi uma época maravilhosa da minha vida. Foi a mesma época em que comecei esse blog!

Esperar pelo futuro marido não tinha nada a ver com inércia, muito pelo contrário, foi uma época de grande atividade, principalmente espiritual, voltada a igreja. Em 2016 precisei sair da faculdade, voltei a morar com meus pais no interior e como eles são os líderes na nossa igreja aqui, me tornei muito mais ativa, ajudando a eles em tudo que precisavam. Sempre gostei de música e cantei, então me tornei responsável pelos louvores. Em 2016 foi quando preguei meu primeiro sermão. Me tornei professora da classe dos adolescentes, criei um projeto para ajudar outras meninas a também esperarem em Deus por seus futuros maridos e estava bem, bem ativa em tudo. Era como se eu tivesse entrado na escola de treinamento de Deus.

Assim, foi natural que eu atendesse ao convite do meu pastor de ir para a Missão Calebe em janeiro de 2017. A Missão Calebe é um programa da igreja adventista em que jovens e adolescentes doam 15 dias de suas férias para ir a outra cidade servirem a comunidade. Aquela foi a primeira vez que tive vontade de participar desse projeto que já estava na sua 7ª edição. Fomos para uma cidade que fica há uns 50 km de onde moro e lá encontramos jovens e adolescentes que tinham vindo de outra cidade, que fica mais longe daqui, há 200 km. Para eles era novidade estar lá, cidade nova, longe da família. Para mim, que já conhecia os irmãos da igreja local, estava bem confortável. Eu sabia que podia contar com eles e estava lá com um desejo muito forte de servir.

Como você já pode estar imaginando, foi servindo nessa missão que conheci o meu futuro marido. Se contar cada detalhe o post ficará enooorme mas em resumo posso dizer que Deus respondeu a cada pedido que fiz. Ele é tão bom! Um pedido especial que fiz era que quando meu futuro marido chegasse, eu não queria olhar pra ele e pensar: “Será esse?” Porque eu tinha feito muito isso em meu tempo de espera e me frustrado também. Maravilhoso perceber que Deus respondeu a isso lindamente. A verdade é que quando vi meu futuro marido pela primeira vez, não pensei nada. Quando tive o primeiro contato mais de perto com ele, também não pensei nada. Por muitos dias dessas 2 semanas, eu simplesmente levei tudo numa boa, apenas passando bons momentos conversando com esse rapaz que eu tinha conhecido ali e que gostava de cantar como eu, o que descobrimos logo no segundo dia, no nosso primeiro contato mais de perto, quando lavamos a louça juntos. Deus nos atraiu um para o outro sem precisar de nenhuma interpretação de sinal ou habilidade em assuntos amorosos. Nada me faltava. Eu estava sendo apenas eu e isso bastou.

Deus é tão incrível! Lembre sempre disso! Ele é incrível demais! Ficamos ansiosas e com medo de não sabermos o que fazer ou dizer mas quando deixamos que Deus escreva a nossa história de amor, Ele é quem decide o roteiro. Ele é quem te dá as falas. Você naturalmente faz tudo o que deve fazer. Deus colocou no coração do meu Matheus o interesse por mim. Eu não tive que fazer nada, eu realmente não me esforcei. Mas ele sim…Esse era outro pedido que eu havia feito a Deus. Eu queria que meu futuro marido fosse até Deus pedir pelo meu coração e foi o que o Matheus fez. Ele orou a Deus sobre isso. Ele pediu oração aos amigos sobre isso. Ele se levantou de madrugada algumas vezes para orar com outros amigos e pediu oração nessas horas também. Eu não fazia nem ideia.

Me dei conta que havia algo de especial entre nós na metade da segunda semana. Faltavam apenas alguns dias para irmos embora. Ele já havia conhecido meus pais quando eles foram participar de um feira de saúde que a missão promoveu. Minha mãe havia gostado dele e percebido que havia algo ali, quando nem eu mesma tinha visto. Quando já no fim da segunda semana pedi a ela que orasse por nós, ela me disse, por mensagem, que já estava orando desde domingo. Ela me deu todo o apoio para aceitar o pedido que chegou no penúltimo dia…”Você quer namorar comigo?” E isso fez toda a diferença! Saber que os nossos pais apoiam e concordam com um relacionamento nosso é muito importante! Eles tem sensores que nós não temos, Deus deu a eles sabedoria. Quando eles são tementes a Deus então, tudo isso se maximiza. Deus os guia, Deus os mostra se aquele relacionamento é o melhor.

No último dia da missão, quando meus pais foram me buscar e ele estava voltando para a sua cidade com os outros jovens, ele pediu minha mão em namoro para meu pai. Foi um momento de tensão e ansiedade. Meu pai é uma figura bem tranquila. Nunca foi ciumento mas eu estava preocupada. Era a primeira vez que alguém pedia minha mão em namoro para os meus pais e foi tão especial! Meu pai abriu um sorriso e disse: “Que legal!” bem ao estilo Valdeci de ser. O gelo foi quebrado e então, oficialmente, passamos a ser namorados, Matheus e eu.

Mas pera, eu esperava pelo meu futuro marido e não apenas por um namorado! Deus guiou essa próxima fase de maneira maravilhosa também. Nunca precisei dizer ao Matheus que eu queria casar, que não estava querendo apenas passar tempo com um namoro bobo. No mesmo dia em que começamos a namorar, 29 de Janeiro de 2017, ao voltar embora, ele escreveu uma nota no celular: “Casar logo“. Deus já havia colocado aquele propósito no coração dEle e nos levou, com a sua graça, ao altar em 29 de Outubro do mesmo ano. Sim, no dia em que completamos 9 meses de namoro, nós nos casamos. Sabíamos que não tínhamos porque esperar. Deus tinha colocado em nossos corações a certeza de que Ele havia nos unido, então, quando o trabalho fixo para o Matheus chegou, estava tudo pronto para que nos casássemos e aqui estamos, comemorando nosso primeiro 29 de Fevereiro!

É como voltar no tempo e comemorar 1 mês de namoro depois de 3 anos. Deus tem nos sustentado e mostrado a bondade dEle para nós. Nos tem guiado, puxado nossa orelha quando necessário, nos ajudado a amar e repeitar um ao outro e ter sempre em mente que nosso relacionamento tem como objetivo a glória dEle!

Como resumir uma história de amor escrita por Deus? Ela merece páginas e páginas. Ela merece ser contada porque é como um lembrete de esperança: Deus tem mais histórias para escrever. Porque não ser a sua? É só você deixar a caneta nas mãos dEle. “Ele é sábio demais para errar e bom demais para nos causar dano!” Acredite, Ele te ama! Ele quer tantas coisas lindas pra você!

Você vai deixar Deus escrever sua história de amor?

Vamos falar sobre influência?

Post 11

Nos últimos meses eu tenho recapitulado a história dos reis de Israel e de Judá. Começando no livro de 1 Samuel, prosseguindo em 2 Samuel,  1 Reis, 2 Reis, 1 Crônicas e 2 Crônicas a gente percebe facilmente que o povo de Deus passou por altos e baixos em relação aos seus governantes. Ao lermos os relatos, o primeiro rei, Saul, já foi um péssimo exemplo. Ele começou bem, vemos que foi Deus quem o escolheu mas ele usou mal o seu livre arbítrio e começou a se afastar do Senhor, chegando até a consultar uma necromante, algo que Deus havia terminantemente proibido. (Leia essa história em 1 Samuel 28)

Davi, por sua vez, escolheu ser diferente. Ele se agradava de seu Deus, o amava de todo coração mas em um momento de fraqueza também teve seus erros. O adultério com Bate-Seba e o assassinato de Urias foram dois deslizes graves de Davi. Mas após o seu arrependimento e mudança de atitude, ele foi chamado de “o homem segundo o coração de Deus”. Vemos que ele se arrependeu profundamente e tomou um rumo diferente em sua vida e fez o que era reto perante os olhos de Deus. Após a morte de Davi, um de seus filhos com Bate-Seba, Salomão, foi aquele que herdou o trono. Jovem demais para se sentir seguro em relação a nova posição, Salomão pede sabedoria a Deus e recebe. Mas ele não usa sua sabedoria de forma realmente sábia. Salomão se perde no meio do caminho e deixa que o orgulho por tudo o que ele havia conquistado manchasse seu coração e nublasse sua visão, fazendo-o pensar que tudo aquilo se devia ao seu próprio poder e capacidade. Ele se casa com mulheres de povos estrangeiros, adora deuses pagãos e constrói templos e altares para esses deuses em Jerusalém.

Por causa da grande transgressão a que Salomão tinha exposto o povo de Israel, fazendo com que o povo pecasse contra Deus, é dada uma profecia. O reino seria dividido em dois. 10 tribos formariam o reino de Israel e 2 ficariam como reino de Judá. E isso acontece no reinado de Roboão, filho de Salomão. Instado pelo povo a ser um rei mais benigno que seu pai, Roboão procura aconselhar-se com os anciãos da terra que o dizem para ganhar o favor do povo, diminuindo os impostos. Não muito contente com esse conselho, ele então procura seus amigos mais jovens que o aconselha a não fazer aquilo que o povo quer mais aumentar os impostos e a ser mais rígido que Salomão. E aí começa a grande lição sobre influência na história dos reis da Bíblia…

Na verdade, a má influência começa antes deles sequer terem um rei. Ao verem que os povos vizinhos possuíam reis e eles não, o povo de Israel pede para terem um governante na terra. Deus era o rei daquele povo mas ao invés de influenciarem as nações que os circundavam e mostrarem o poder de Deus para livrá-los, eles se deixaram influenciar e não quiseram mais Deus como o único governante em suas vidas. E então Salomão chega ao trono. Ele expôs o povo a uma idolatria tão grande, que fez com que eles, que já tinham tendência a se desviarem, a irem mais fundo no pecado. Ao invés de usar de sua posição para aproximar as pessoas do Deus verdadeiro, ele permitiu que os deuses de suas mulheres estrangeiras entrassem no seu coração e na sua terra e a contaminasse. Salomão foi influenciado por mulheres e influenciou o povo a adorar a deuses pagãos. Roboão, por sua vez, foi influenciado por seus amigos. Ao invés de dar ouvidos aos sábios anciãos, ele escolheu fazer aquilo que ele pensava ser o mais correto e não demonstrar misericórdia ao povo. O preço dessa atitude foi um reino dividido. Jeroboão aparece na história como uma espécie de salvador. O povo se une a ele e apenas as tribos de Judá e Benjamin permanecem fiéis a linhagem de Davi.

Jeroboão poderia ter guiado o povo de volta a adoração ao Deus verdadeiro mas ele também escolheu seguir por outros caminhos…Com medo de perder pessoas do povo toda vez que fossem a Jerusalém adorar a Deus no templo, ele resolve então fazer um bezerro de ouro e intitulá-lo como “deus de Israel” fazendo com que o povo mais uma vez fosse guiado na direção errada e usando de sua grande influência para o mal.

A lista de reis continua e as coisas não são bonitas de se ver. A maioria dos reis de Israel foram maus e não usaram de sua influência para aproximar o povo do Deus que os havia libertado e cuidado deles por todos aqueles anos. Isso não te faz pensar no peso da influência? Um fato que fica bem claro é que quando o povo teve bons reis no comando, que serviam ao Deus verdadeiro, eles foram levados a adorar a Deus também e a abandonar os ídolos mas quando o rei era mau perante os olhos de Deus, o povo também era mau pois via em seu governante um exemplo a ser seguido e “se o rei está fazendo isso, talvez não seja errado que nós façamos também, certo?”

Por causa da desobediência e dureza de coração dos reis para com a vontade de Deus, por não ouvirem as advertências dos profetas e se arrependerem de seus pecados, o reino de Israel foi levado cativo pelos Assírios e todo o povo pagou o preço. Isso me faz pensar muito na responsabilidade que temos pelos nossos atos. Quando estamos em uma posição de liderança, seja ela qual for, somos responsáveis por aqueles que influenciamos. É claro que nem todo o povo era idólatra mas pelo afastamento dos reis e dos líderes espirituais dos caminhos de Deus, já não era fácil encontrar a palavra sagrada sendo lida e vivida naqueles dias. Todo, todo o povo sofreu.

Judá por sua vez teve reis melhores. Ezequias é um dos meus favoritos! Ele fez o que era reto perante o Senhor e o seu compromisso com Deus fez com que todo o povo se convertesse! Ezequias reabriu o templo e ordenou que ele fosse purificado de todas as imundícias que tinham sido colocados nele e um de seus atos que eu mais gosto, foi a celebração da Páscoa. Isso mexeu com a vida do povo. Mesmo sabendo que eles não estavam com a vida espiritual em situação agradável a Deus, ele orou por aqueles que estavam sob seu comando e tamanha foi a transformação ocorrida que o povo não conseguia parar de adorar a Deus! Passaram 2 semanas louvando e adorando ao Deus verdadeiro. Eles mesmo derrubaram os altares e postes-ídolos que ainda haviam e se livraram de suas imagens de escultura. Todo o povo se converteu a Deus novamente e eu imagino a grande felicidade que invadiu o coração do rei e do nosso Rei dos Reis ao ver tal cena! (Essa história maravilhosa está em 2 Crônicas 29, 30, 31 e 32)

Tudo o que o povo precisava era de um líder que vivesse a verdade de maneira comprometida. Tudo o que o mundo precisa hoje é do mesmo tipo de líder. Alguém que saiba distinguir o certo do errado e tenha coragem para se por do lado certo e acima de tudo, viver pelo lado certo. Saber escolher um bom líder também é importante. Para quem você olha? Em quem está se inspirando? Hoje não somos governados por reis que são tidos como exemplos de conduta mas somos muitas vezes influenciados por “ídolos” que se tornaram o novo modelo de como se comportar/se vestir/se relacionar e nem nos preocupamos muito se essa pessoa para quem olhamos, olha pra Jesus. Essa pessoa te aproxima de Deus? Quando você para um pouquinho para analisar os frutos da vida dela, são frutos que se parecem com os frutos que o Espírito Santo daria? Frutos de pureza, de adoração a Deus, de humildade, de compaixão? Ou são frutos de ostentação, orgulho próprio, rebeldia, sensualidade?

Quem você influencia? Algumas vezes nós podemos pensar que só porque não estamos em uma posição de liderança, não influenciamos ninguém mas isso não é bem verdade. Como cristãos já estamos em uma vitrine quer queiramos ou não. Somos espetáculo pro mundo e eles esperam ver o pior em nós para nos julgarem e o que é pior, julgarem nosso Deus. Mas existem aqueles que esperam com ansiedade por ver o melhor. Para verem que ainda há esperança em um meio em que diz que ama e serve a Jesus. Existe uma frase que diz: “Cuidado com a forma com a qual você vive, talvez você seja a única Bíblia que algumas pessoas irão ler”. E a responsabilidade por isso é enorme! Ás vezes você pode influenciar apenas seu irmãozinho mais novo mas isso não deixa de ser uma grande responsabilidade. A verdade é que todos estão nos olhando. Nossos amigos, familiares, pessoas que convivem conosco mas com quem nunca trocamos uma palavra podem olhar a nossa conduta e se inspirar nela. O problema é quando “não nos importamos com o que os outros vão pensar” e vivemos a nossa vida de forma irresponsável, nos esquecendo que estamos aqui para refletir a luz de Cristo ao mundo e para que essa luz seja melhor refletida, é preciso que nós conheçamos a Cristo de verdade e saibamos quais são os frutos que ele deseja que nós tenhamos em nossa vida.

O mundo precisa de pessoas de coragem. O mundo precisa de cristãos de coragem. Que vivam aquilo em que acreditam e que não tenham vergonha de abandonar qualquer ídolo que o afasta de Deus. Que faça de Jesus o primeiro. Que o faça de modelo e que inspire outras pessoas a terem boas atitudes. Atitudes nobres geram outras atitudes nobres. Depende de nós querer começar a levar as pessoas ao encontro de nosso Salvador Jesus. Te pergunto mais uma vez: Quem você influencia? Pense nessas pessoas. Pense nas pessoas que estão ao seu redor. Pense em como Jesus as trataria, em como Jesus cuidaria delas, em como Jesus as amaria e tente fazer igual. Antes de tudo, peça a Jesus para te ajudar a ser um bom influenciador. As influências para o bem ainda existem. Entre na lista daqueles que fizeram o que “era reto perante o Senhor”!

Qual o seu tipo de amor?

Post 010

Estive eu a pensar sobre o amor. Não o amor romântico mas o amor que temos uns pelos outros de forma geral. Por nossos pais, irmãos, amigos e no fato de que algumas vezes cobramos tanto dessas pessoas e elas cobram tanto de nós que nada é feito mais por livre e espontânea vontade mas por forte pressão e obrigação. Então eu pergunto: “Essas atitudes valem de alguma coisa?”

Isso me fez pensar no amor de Deus. Sabemos que nosso Deus ama de forma incondicional. Nada que façamos diminuirá o tamanho do amor dEle por nós e então pensando na minha própria experiência como alvo desse amor, eu me dei conta de que tudo que Deus mudou em mim foi com amor. Mas o que mais admiro em relação ao amor de Deus é que nada, simplesmente nada é forçado. Olhando para trás e para todas as coisas que abandonei, eu consigo enxergar claramente que tudo foi para meu benefício próprio. Deus não nos tira coisas boas. Deus tira as coisas más que nos impedem de ter as boas. Lembrando sempre que muitas vezes temos a nossa visão embaçada pelos costumes do mundo, acabamos por confundir o bom com ruim, o verdadeiro com o falso. Mas quando você permite que Deus te ame da forma como Ele pode te amar, parece que as nuvens negras vão embora e então você pensa: “Não posso continuar fazendo isso porque não me aproxima de Deus, só me afasta”. E então você deixa, simples assim. O processo pode ser dolorido – muitas vezes é – mas os resultados que virão serão maravilhosos. Acontece que mesmo que haja dor e muita luta, não há nenhum resquício de egoísmo da parte de Deus. Ele não te afasta do que você gosta por puro capricho, Ele te afasta por amor e por saber do fim desde o princípio e nas consequências que você terá que enfrentar.

Isso me leva mais uma vez ao amor que temos pelas pessoas. Que tipo de amor tem sido? É do tipo que sufoca? É do tipo que cobra atitudes mas não teve uma atitude de amor tão importante para mover corações? Nós amamos porque ele nos amou primeiro.” (1 Jo 4:19), certo? Nós já recebemos um amor tão grande e quando temos que tratar com os outros, esse amor transborda? Ou é todo recolhido, juntamente com a graça e esquecido em um cantinho enquanto exigimos que as pessoas ajam da forma que queremos? Atitudes assim não mudam pessoas. Atitudes assim afastam pessoas. Já vi isso acontecer tantas vezes e é tão triste…

Quando você vê uma pessoa lutando com um vício que a domina e que claramente é um refúgio em meio a sua tempestade mental, a última coisa que essa pessoa necessita é de alguém cobrando o abandono do vício ou uma mudança de atitude, como se aquilo fosse assim tão simples. O que ela precisa é de amor. Um amor que compreenda as suas limitações humanas, a sua fraqueza mental e espiritual e que estenda a ela a mão, os braços, o tempo para amá-las sem cobranças. Você conhece um Deus que diz: “Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso.” (Mt 11:28) Você recebeu esse descanso? Se recebeu, eu te peço: Seja um instrumento de alívio para outros. Guie com amor abnegado outras pessoas ao carregador de fardos, que é nosso Senhor Jesus. 

E quando alguém tira do outro o que eu chamo de “o direito de ser” em nome do amorIsso normalmente acontece entre casais. Uma pessoa começa a namorar e então passa a dominar a vida do outro.”Nada de sair com esses amigos aí. Amigas? Melhor parar de conversar com elas já. Ir aonde eu não vou? Claro que não pode. Ser um indivíduo e ter vontade própria? Quem pensou em algo assim?” Ah gente, isso é tão mas tão triste! Isso me faz, inevitavelmente, comparar esse tipo de “amor” com o amor puro de Deus. Se você parar um segundo para comparar o amor que liberta, que é aquele que Deus te dá, com esse amor controlador acho que fica praticamente impossível continuar com um relacionamento assim. Estar sozinho pode ser difícil mas pior do que estar sozinho, é estar com alguém que ama errado. O respeito é algo tão importante. Respeitar quem o outro é tendo como base a confiança e um amor que não precisa controlar cada passo que o outro dá, que escolhe amar primeiro porque já foi amado por Deus, deixando que esse sentimento transforme a vida do outro e a sua também.

Nós recebemos um tipo de amor excelente. Nós temos o exemplo dAquele que é o Amor em essência! Não é fácil amar como Deus nos ama. Mas esse foi o mandamento que Jesus nos deixou: “Um novo mandamento lhes dou: Amem-se uns aos outros. Como eu os amei, vocês devem amar-se uns aos outros.” (Jo 13:34) E como ele nos amou? Ele amou curando. Curando dez leprosos e só recebendo o agradecimento de um. Ele amou suprindo as necessidades das pessoas mesmo vendo que algumas delas só se interessavam pelo pão. Mas Ele veio como o Pão da Vida, como Água que nunca mais nos deixará ter sede e agora está na hora de transbordarmos. Vamos transbordar do amor sem cobrança?
Eu sei que queremos ver mudanças nas pessoas ao nosso redor e que desejamos que elas sejam diferentes, mas vamos nos lembrar sempre: Nós não podemos mudar ninguém. Esse é um trabalho para o Espírito de Deus. Tudo o que podemos e devemos fazer é estender amor e graça em nossas atitudes e forma de falar. Orar, apresentando a Deus aquilo que tanto nos preocupa em relação a aqueles que amamos e deixar que Ele faça o trabalho.

Se você vê o amor de Deus como um amor cobrador, olhe de novo. Talvez a sua resistência em ser invadido por esse amor tem nublado a sua visão e te feito ver as coisas da forma errada. O amor de Deus nos encontra como estamos mas não nos deixa da mesma maneira. O amor que nos invade faz com que amemos a Deus acima daquilo que amávamos antes e aí somos transformados. Quando damos amor sem medida e sem cobranças podemos ver grandes coisas acontecendo. Vamos deixar que o poder do amor aja através de nós!

 

“O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha.
Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor.

O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade.
Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.”
1 Coríntios 13:4-7

Por que esperar um príncipe no cavalo branco?

 

Post 7

Na era dos antagonistas, os mocinhos tem estado na lista dos “sem graça”. Príncipe no cavalo branco então, ih, já era. E eu, com toda a ousadia e correndo o risco de ser chamada de careta, venho aqui para te dizer: Você deve sim esperar por um príncipe! Até porque, existe um, que tem um cavalo branco e que está ansioso para conquistar seu coração!

A Bíblia fala de um cavaleiro no cavalo branco, você sabia? Em Apocalipse 6:2 nós lemos:

“Olhei, e vi um cavalo branco. O seu cavaleiro tinha um arco, e foi-lhe dada uma coroa, e ele saiu vencendo, e para vencer.”

Esse cavaleiro tem um nome que você já deve ter ouvido. O nome dele é Jesus*!

Eu não tenho ideia se os príncipes dos contos de fada foram inspirados no cavaleiro no cavalo branco mas isso me fez perceber que sim, é um príncipe que você e eu devemos esperar e quer saber por quê? Porque, ás vezes, a vida nos faz desacreditar no amor verdadeiro. Isso soa brega hoje em dia e poucas são as pessoas que ainda acreditam que esse tipo de amor existe e eu entendo, entendo mesmo! Vivemos em uma época em que a fidelidade não é nada exaltada. É cobrada mas pouco praticada. A falta dela é usada como desculpa para se cometer mais infidelidade e a bola de neve só vai ficando maior e maior e o nosso padrão vai decaindo cada vez mais, já que né, “ele é assim mesmo” ou basicamente nos contentamos com o “melhor que temos para hoje”. Mas Jesus chega e nos apresenta o verdadeiro amor verdadeiro que nada tem a ver com o nosso conceito do que esse sentimento seja.

“O valor do príncipe não está em seu título real”

Com certeza você sabe que quem devemos esperar não são príncipes com título real terrestre mas quem sabe você acredite que se o “príncipe” tiver muitos bens de herança, uma posição social elevada e for bem bonitinho, tanto melhor. Pois é, não é bem isso que devemos ter em mente. Não estou dizendo que homens ricos e providos de beleza são “proibidos”, estou dizendo que se nossos olhos só enxergarem o exterior, o superficial, estaremos correndo um grande risco de entrar na lista dos desiludidos do amor. Como eu disse anteriormente, a atitude das pessoas nos dias atuais já faz isso por nós mesmo que nunca tenhamos estado em nenhum relacionamento. Então, como encontrar o príncipe certo? Primeiro de tudo, ele precisa MESMO ser um príncipe. E quem são os únicos que podem receber título de príncipe? Os filhos de um rei!

“O seu príncipe é filho do Rei dos Reis”

Jesus, nosso cavaleiro do cavalo branco, deve ser o primeiro a receber nosso coração sem reservas! Meninas, entendam, nunca encontraremos alívio para todas as nossas necessidades em outro ser humano. Eu não sei vocês mas eu tenho uma grande amizade com a minha mãe e conversar com ela alivia e muito os pesos que eu carrego no coração, mas eu sei que ela é limitada, assim como eu. Então, além de contar para a minha mãe, no meu momento com Deus conto tudo a Ele também porque eu sei que Ele é o único que pode realmente aliviar o meu fardo e trocar pelo dEle, que é leve! Nada de errado em compartilhar nossa vida e momentos com outra pessoa mas existirão momentos que só Deus poderá suprir o que nos falta e se nós não entendermos isso e cobrarmos do outro algo que ele não pode nos dar, então teremos um sério problema relacionado a frustrações

Jesus deve ser o primeiro em nossas vidas. Se nosso coração for dele e Ele for suficiente para nós, então não teremos medo de para sempre nos sentir vazias como nos sentimos algumas vezes. Nós descobriremos um amor que não pensávamos ser possível existir mas que existe e está a tua disposição!

“O seu príncipe é filho do Rei dos Reis e tem sido treinado na corte real”

Muitas vezes nós nos sentimos sem referência, certo? Eu me sinto assim muitas vezes. Quando paramos e analisamos a vida, algumas vezes nos damos conta de que nunca conhecemos alguém que nos tratasse de maneira correta, com respeito por quem somos e de Quem somos. Infelizmente me dei conta de que nunca fui tratada assim nem mesmo por meu pai e quando carregamos alguns traumas ou experiências decepcionantes, tendemos a perder a esperança e algumas vezes, baixamos o padrão. Passamos a acreditar que “todos os homens são iguais” e que em comparação com outros “aquele ali nem é tão ruim assim” e nos acomodamos, nos acovardamos e entregamos nosso coração para o primeiro que passa nos tratando com um pouquinho mais de decência do que estamos acostumadas e então descobrimos que na verdade encontramos um sapo já que fizemos escolhas precipitadas na ânsia de preencher um vazio que devia estar sendo preenchido por Cristo. Não façam isso garotas!

 

Tenho certeza que Jesus tem vários príncipes em treinamento, de todas as idades! Príncipes que estão focados em ser mais como Jesus e esse é o tipo de príncipe que você deve esperar! Príncipes que assim como o cavaleiro no cavalo branco tem como objetivo vencer a batalha contra as más influências deformadoras de caráter porque estão alicerçados na Rocha e buscam mais do que simplesmente um nome para sua lista de conquista, um corpo ou rosto bonito, eles buscam Jesus! Eles irão buscar Jesus em vocês e eles encontrarão? Bem, se você entregou seu coração para que Jesus tome conta, ele não vai somente encontrar Jesus em você como terá que ir atrás dEle para conquistar seu coração! A experiência cristã de vocês dois será somada e depois multiplicada!

Lembrete importante: Isso não quer dizer que seu príncipe não terá defeitos. Ele está em treinamento, se lembra? E enquanto estivermos nessa Terra estaremos sempre em treinamento mas de forma progressiva, estaremos sempre avançando, sendo aperfeiçoados por nosso Rei. E aí se encontra a diferença daquele príncipe que desejamos para aqueles que parecem estar sendo produzidos em série no mundo de hoje: O treinador. Em quem seu namorado se espelha? Em Jesus? Ou num amigo, ídolo, estilo de vida? Quando um homem olha para Jesus e consegue enxergá-lo como exemplo vivo e inspiração, que grande homem teremos! Um homem que se lembrará do que está escrito em Efésios 5:25: “Maridos, amem suas mulheres, assim como Cristo amou a igreja e entregou-se a si mesmo por ela”.  Ele será um homem que saberá o real valor que você tem, ele saberá que você vale a vida do Filho de Deus e saberá te tratar da forma que você merece.

Meninas, não se contentem com o que o mundo tem a oferecer porque você está se sentindo muito solitária, muito cansada de esperar, acha que não existem homens como esse que eu descrevi ou então que Deus é ocupado demais para se preocupar com a sua vida amorosa. Se você procurar o que o mundo tem a oferecer, encontrará e normalmente vem em uma caixa linda de interior vazio. Homens preocupados em ser aquilo que Jesus espera deles existem e adivinhem o que eles estão esperando? Mulheres que façam de Jesus o primeiro em suas vidas também! Deus tem uma maneira linda de unir pessoas com o mesmo propósito de vida! Você é muito preciosa para Deus para que Ele simplesmente te entregue nas mãos da pessoa errada e é uma bendita segurança saber que Deus se preocupa comigo a ponto de me unir ao homem que Ele escolheu pra mim.

Eu tenho um desafio para você! Não é dos fáceis mas é daqueles que trazem bençãos!

Porque você não entrega o seu coração a Jesus hoje, pede a Ele que cuide com todo o amor do mundo (Ele sabe fazer isso maravilhosamente bem!) e pede também que Ele só o entregue para o homem que Ele preparou para você?

Isso inclui não tirar o coração da mão de Jesus e dar para o primeiro homem que te interessar. É ELE quem está escolhendo, se lembra? E muitas vezes nosso coração é enganoso. Então, nada de tirar da mão dEle, é trapaça! 😛

Quando entregamos o coração a Deus buscamos a direção dEle em todo o momento. Passamos a orar por aquele homem que Ele separou para nós todos os dias, buscando pensar nele como alguém real (já que ele é mesmo!) e em como nossas ações hoje afetarão a vida dele no futuro. Também buscamos a ajuda de Deus para não entregar nossos pensamentos a ninguém precipitadamente, o que não é uma tarefa fácil mas vamos nos lembrar de que estamos sendo cuidadas por nosso Pai Celestial e Ele nos ama mais que o suficiente para nos dar a paz interior que necessitamos para saber esperar por aquele príncipe que ele tem para nós.

Meninas, todo esse papo de príncipe pode parecer bem infantil, não é? Estamos desacostumadas MESMO a esse conceito e acredito que seja pelo fato de relacionarmos o título príncipe com o adjetivo perfeito e a verdade é que nunca encontraremos essas duas qualidades aqui na Terra mas a encontraremos no Céu! E quando um homem tem relacionamento com o Rei, o Criador dos céus e da Terra, ele passa a ser cada vez mais parecido com esse Rei. Acredite, os príncipes existem. Deseje um. Ore por ele. Peça a Deus que o traga para você. Lembre-se: O tempo de Deus não é o nosso tempo. Não desanime se demorar, dê uma passada nessa postagem e entenda que Deus faz tudo de maneira perfeita, Ele está protegendo o tesouro que seu coração é e Ele o entregará para aquele que Ele separou para você na hora certa. Deus nunca se atrasa!

*Postagem sobre os setes selos e os cavaleiros do Apocalipse: 

http://www.criacionismo.com.br/2008/05/desvendando-o-apocalipse-os-sete-selos.html