Negando a Mim Mesma: Meu Testemunho.

E dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me.

Lucas 9:23

Jesus disse essas palavras e elas podem ser muito assustadoras. Que coisa é essa de “negar a si mesma e tomar cada dia a cruz? Jesus não disse que ele carregaria nossos fardos e que o fardo dele é leve? Ele não morreu para que eu fosse livre?”

Exatamente…

Um dia eu descobri que ser cristã era mais do que ir a igreja. Que liberdade não é libertinagem. Que eu precisava deixar Jesus entrar em cada cantinho de quem eu era. Eu precisava sair pra ele entrar. Eu precisava fazer um detox de mim mesma. É sobre essa jornada de “negações” que eu vou escrever agora…

Há muito tempo atrás em uma cidade muito distante…

Vivia a pequena Andressa. A sua mamãe ficava tão feliz porque era só colocar o bebê no carrinho na frente da tv e ela ficava quietinha, deixando com que a mamãe fizesse todos os serviços domésticos em paz.

Aos 3 anos, a pequena Andressa já sabia colocar as suas fitas VHS da Disney no vídeo cassete e dar play, dar pause, dar stop, rebobinar. Era quase um prodígio. Andressa foi crescendo, assistia desenhos animados e filmes na Sessão da Tarde e no Cinema em Casa. Ela amava. Ela inclusive tinha uma lista na sua agendinha de todos os “bons” filmes que ela tinha assistido.

No início da adolescência as coisas começaram a mudar. Ela foi picada por um insetinho que a fez ficar doida por novelas mexicanas. Nessa época as músicas também entraram no “hall de coisas que Andressa adorava“. Claro, assim como quase todo mundo, Andressa também foi fã de Sandy e Júnior, ela inclusive ganhou seu primeiro rádio aos 9 anos! Mas o pessoal lá do México levou as coisas para um outro nível…Ela agora queria ser como aquelas atrizes, viver no país delas, falar a língua delas, ser como elas…

Quando a adolescência de fato chegou, Andressa decidiu que era emo. Nessa época, aos 15 anos, ela ganhou seu primeiro computador. Agora ela tinha livre acesso a internet e ela achava que estava vivendo o paraíso na Terra. Tantas possibilidades, tantas pessoas que ela podia conhecer! Agora ela podia baixar todos os cds da suas bandas emo favoritas!

Nessa época ela ouvia músicas tristes para ficar mais triste. De certa forma ficar triste era tão legal, assim pensava Andressa. Pobrezinha. Os seus ídolos agora não eram apenas os mexicanos mas todas essas bandas de caras que cantavam sobre a dor do amor…

Aos 15 anos Andressa se batizou em uma igreja protestante. (Hãn?) Ela era emo e ficava bem ao se sentir triste. Quem sabe Deus a preenchesse e tirasse a graça de sofrer, não é? Quem dera…

Andressa agora fazia parte de uma igreja protestante e tudo o que ela fez foi parar de usar bijuterias e comer carne de porco. Ela também ia a igreja todo sábado. Exteriormente até podia se notar alguma coisinha diferente mas por dentro…Andressa era depressiva e ansiosa, carente de atenção. E sabia esconder tudo isso até que bem.

Por dentro Andressa não tinha aberto seu coração para Jesus. Ela tinha medo dele voltar. Ela não queria que ele voltasse. Ela não entendia como as pessoas podiam “ansiar” por isso. Dentro dela havia uma suspeita de que as pessoas só falavam aquilo pra parecerem espirituais mas elas não queriam que ele voltasse realmente por que quem estaria preparado para o caos que o mundo se tornaria até que Jesus aparecesse? (…)

Andressa se tornou uma jovem adulta.

Em 2008, Andressa se muda de cidade. Agora ela vivia na pequena cidade em que os pais nasceram. Ela não gostou nada da mudança. Essa transição fez com que Andressa se fechasse ainda mais e vivesse para a internet, para os filmes, para as séries e para as distrações que encontrava online. Ela se afastou dos amigos reais. Tanto os que moravam na nova cidade, quanto os que moravam na sua cidade natal, pois deixou de falar com eles até mesmo virtualmente. Andressa se isolou.

Mas então ela avançou mais um nível… Aprendeu como baixar filmes na internet! Não só filmes mas séries também! Uau, quantas possibilidades, o céu era o limite, ela podia baixar tudo o que ela quisesse. Ela passou a gravar os filmes e algumas séries em DVDs, numerá-los e anotar os nomes dos filmes que havia em cada um. Ela não vendia nenhum deles. Não! Isso seria errado demais! Andressa tinha aprendido uma coisinha ou outra e isso ela decidiu colocar em prática. Nada de vender DVDs de filmes baixados da internet! Ela se sentia super certinha fazendo isso!

Como Andressa gostava muito de conhecer todos esses atores e atrizes que iam fazendo sucesso, ela passou a baixar todos os filmes e séries que encontrasse dos seus artistas favoritos. Como uma coisa leva a outra, ela ia admirando uma nova atriz aqui, achando lindo um novo ator ali e não tinha fim. Não tinha fim e nem filtro.

Andressa assistia filmes que provavelmente você se espantaria se soubesse quais eram. Ela nunca foi fã de terror mas assistiu algum terror light uma vez ou outra. Filmes de guerra com todos aqueles atores bonitos. Quem não ia gostar de ver pessoas sendo mortas, sangue, violência e atores bonitos? Mas Andressa gostava era dos romances e você sabe, né? Nem todo romance é apenas uma historinha boba de amor…

Andressa achava que essa coisa de triângulo amoroso era quase…normal. As cenas de sexo? Bom, elas estavam lá e com o tempo Andressa nem se preocupava mais com elas, era normal também, não era? Ainda que fosse fora do casamento ou uma traição e ainda que duas mulheres resolvessem se beijar, do nada, no meio do filme. Era normal. Não era?

Você pode se perguntar: Mas Andressa não era da igreja? Ela não ia lá todo sábado? É claro que depois de um tempo Andressa não ia na igreja TODO SÁBADO. É claro porque Andressa tinha outros interesses e Deus não tinha espaço, em lugar nenhum. Mas ainda que ela não fosse assídua, Andressa aprendeu algumas coisas. Ela ainda não pensava sobre a volta de Jesus. Isso a fazia chorar de desespero. Então ela simplesmente ignorava isso.

Ainda assim, Andressa achava que era muito esperta e tinha decorado várias coisas que estavam na Bíblia que tinha ouvido quando ia a igreja. Isso fazia ela pensar que tinha alguma vantagem, mesmo que não praticasse nada. Porque “nossa igreja estuda a Bíblia e guarda os mandamentos”, não é?

Em 2011, aos 21 anos, Andressa encontra um novo amor…Adicione à sua adoração por filmes, séries, músicas e internet, os livros! Andressa descobriu que ler era tããão bom! Mas claro, ler livros de romance, porque esses sim são bons livros! Em 2013 Andressa leu mais de 80 livros. Grande marca para alguém que detestava ler até poucos anos atrás. Ela tanto comprava livros (o que se tornou uma obsessão) quanto baixava ebooks da internet, no mesmo estilo dos filmes, séries e músicas…

Andressa era tão feliz lendo! Antes ela encontrava satisfação nos filmes mas poder imaginar tudo em sua mente passou a ser tão incrível quanto!

Mas de repente, não mais que de repente…

Acontece uma reviravolta na vida de Andressa!

Talvez não tenha ficado tão evidente ao longo da história mas o maior “amor” de Andressa estava na internet. Tudo aquilo que ela tanto estimava se encontrava lá. Tudo girava em torno da internet. Mas um dia, de forma incrível e inesperada, Deus entra na história.

Andressa se pergunta: “Será que alguém estava orando por mim?”

As coisas começam a mudar em uma tarde de fim de ano.

Ainda era 2013, ela foi ao mercado com sua mãe e lá encontrou uma amiga que não via há algum tempo. Elas se cumprimentam. Andressa foi quase empurrada sobrenaturalmente até ela porque no fundo a vergonha de ter se afastado de todos os seus amigos era presente na vida dela. Mas o reencontro aconteceu. Aquela amiga, mais tarde, conversa com Andressa pela internet e a convida, pasmem, a convida para ir morar com ela na capital. Assim, do nada, de repente. Andressa acha aquilo incrível e ao mesmo tempo fora da realidade mas ainda assim, conta para sua mãe sobre o convite. A sua mãe fica super empolgada, mais que Andressa e dá todo o apoio para ela ir. Andressa então decide fazer algo por ela mesma. Entra na internet, pesquisa universidades e resolve fazer um vestibular agendado para voltar a cursar Design (Curso que ela começou e abandonou em 2012).

É 2014, Andressa está morando na capital. Foi aprovada na universidade. Saiu da sua toca, quem diria? Quem diria também que as coisas estavam prestes a mudar?

Só Deus diria…

Os hábitos de ver filmes, séries e ler livros continuavam. Mas Andressa adquiriu um hábito novo. Ela conversava com Deus todas as manhãs, no trajeto de ônibus de casa até a faculdade. Imagino Deus dizendo: “Até que enfim um espaço pra mim.” Eram mais ou menos uns 30 minutos de trajeto para ir e claro que tinham distrações no caminho mas não subestime o que Deus pode fazer com 30 minutos do seu tempo todo dia!

Andressa decidiu estudar a Bíblia. Ela tinha esse guia de estudo da igreja e o estava fazendo religiosamente, ainda que não praticasse muita coisa. Mas de novo, nunca subestime o que Deus pode fazer…

“Ela foi dobrada e quebrada mas para ter uma forma melhor”

2015, ainda estava na faculdade mas esse ano algo incrível aconteceria.

Mês de abril, dia 1º. Andressa ia passar por uma cirurgia na boca para expansão da arcada dentária. “A recuperação vai ser rápida”, diziam, mas durou meses e rendeu a ela um lindo espaço de 5mm entre seus dentes da frente. Claro que aquilo afetou a autoestima da Andressa (que nunca foi boa). Ela tinha feito a cirurgia para consertar os dentes e agora estava pior mas quando ela estava se sentindo o ser menos possível de alguém se apaixonar no mundo, foi aí que descobriu que já era amada.

Deus tocou o coração de Andressa de uma forma inexplicável. Ele a impulsionou a ler um livro chamado “Quando Deus Escreve Sua História de Amor”. Nesse livro, Andressa descobriu que Deus tinha um plano para a vida amorosa dela. Mas ela se sentia tão indigna…Ela já havia, aos prantos, pedido perdão a Deus por todo o tempo desperdiçado na internet. Por todas as pessoas virtuais que ela tinha permitido serem mais importantes que as reais e até que o próprio Deus em sua vida. Mas ainda assim, ela não se achava digna de nada. Talvez não se sentisse perdoada, não sei. Mas quando ela soube que Deus queria que ela vivesse uma vida diferente porque ELE A AMAVA, tudo mudou!

Sim, Deus a amava. Logo Andressa se deu conta da realidade do amor de Deus. Deus a amou quando ela o rejeitou, quando ela desperdiçou a sua vida com divertimentos mundanos, quando ela o traiu, o desobedeceu, viveu como se Ele não existisse, quando ela manchou o nome dele, afinal, um dia ela havia se batizado e se denominava “cristã”, não era? Mas agora, aos 25 anos, 10 anos depois de ter se batizado, Andressa estava realmente entendendo o que significava a palavra “conversão” e Andressa nasceu de novo.

O amor salva, liberta, transforma.

Antes desse processo, eu já havia parado de assistir algumas séries. Quando Deus começou a falar comigo sobre deixar os filmes, eu tremi. “Que tipo de pessoas não assistem filmes? Eu vou ser um et!” Mas Deus em sua infinita bondade, com todo o seu terno amor, não desistiu de ir limpando o meu coração. Eu me dei conta do quanto aqueles filmes e séries haviam sujado a minha mente. Eu era uma pessoa de mente impura porque já tinha visto muitas cenas que não devia ter visto. Eu tinha perdido a pureza e inocência, e enchi a mente de lixo. Eu sabia que ainda que abandonasse tudo, haveriam consequências. Mas estava disposta a aceitar. Nada mais justo. Eu havia aceitado o convite de Cristo e ainda que houvessem consequências ruins, eu as enfrentaria ao lado dEle.

Meu gosto musical mudou radicalmente com o tempo! Deus foi lapidando meu gosto musical. Antes do grande encontro eu já vinha preferindo músicas mais calmas e tranquilas, até que finalmente decidi parar com músicas sobre desventuras amorosas. Eu sabia que aquilo só traria um senso de desilusão e que existiam opções melhores. Deus permitiu que eu conhecesse o folk e uma dupla cristã chamada “All Sons and Daughters” que foram os que me ensinaram o que era louvar a Deus e ter prazer nisso!

O abandono dos livros se deu da mesma forma. Comecei a me incomodar com eles. Sabia que muitas estórias ali contadas não tinham nada a ver com o que o Jesus ensinava e na verdade eram 100% contrárias ao ensino dele. Então me desfiz deles e como estava no caminho de “negar a mim mesma e seguir a Jesus”, me desfazer dos livros foi tarefa mais fácil.

A internet me trouxe grande sofrimento mas já faz algum tempo que Deus me ensinou como usar a internet de forma sábia e agora eu uso aquilo que me destruía para contar para as pessoas que Jesus também as ama, também tem salvação para a vida delas e que Ele está voltando! Agora não tenho mais medo da volta de Jesus. Ás vezes tento imaginar como será e sei que não passo nem perto com a minha imaginação limitada mas só consigo pensar na grande festa que vai ser estar lá, ver Jesus face a face, agradecer por ter me amado quando eu o ignorava, por ter sonhado por mim, me resgatado, me dado segundas, terceiras, quartas chances.

Eis que tudo se fez novo.

Eu fui uma criança viciada em tv, que se tornou uma adolescente idólatra e uma jovem adulta perdida dentro de casa. Mas eu fui resgatada. Ao escrever tudo isso, muita coisa parece impessoal. Parece que não vivi. Aquela Andressa morreu. Louvado seja o nome de Jesus!

Nada do que abri mão foi uma perda. Foi libertador. Não ser escrava de nada além de escrava de Cristo, aí está a verdadeira liberdade. Saber que todo “não” de Deus significa proteção. Saber que Ele disse para não termos outros deuses além dEle porque Ele sabe que esses deuses nos escravizam, nos distraem da vida, roubam nosso destino, mentem sobre Deus, quebram nossos corações, nos fazem cair em depressão e perder o sentido da vida.

Contar minha história é um novo passo para ser livre da vergonha e da culpa. Nunca fui perfeita, continuo não sendo. Mas agora eu encontrei um farol, um porto seguro. Uma luz em meio a tanta escuridão, que me guia até o melhor que eu posso ser: “santa como meu Pai é santo”.

Conhecer Jesus transformou a minha vida. Mas conhecer de verdade. Não saber apenas que ele “morreu um dia porque me ama”. Ter a REAL noção do que isso significa mudou tudo. Entender que Jesus é de verdade, tem planos para mim, criou um caminho para eu encontrar o Pai e não ser mais órfã nesse mundo mas adotada como filha amada e preciosa que vale a vida do filho de Deus.

Meu desejo é que minha história te inspire a também pensar na sua. Ver tudo o que Deus fez por você e em você. Decidir não ser mais escrava mas livre. Decidir abrir teu coração e começar um relacionamento verdadeiro com Jesus. Ele sim pode transformar a sua história e te dar uma nova vida, limpinha, sem mancha, para você viver tudo o que ele preparou para você!

Porque eu sei os pensamentos que tenho sobre vós, diz o SENHOR, pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que esperais.

Jeremias 29:11

Me siga nas redes sociais!

Abandone o Fardo: Culpa e Vergonha

Quem nunca se pegou lembrando de situações do passado e de repente sentiu uma culpa e vergonha enormes por tudo o que passou, o que fez, o que não fez e então se sentiu desanimada e envergonhada, querendo se esconder de tudo e todos para que não descubram que você é uma “grande farsa”?

Sabe, irmã, descobri que a culpa e a vergonha andam lado a lado e que essa dupla pode tirar nossa paz, nosso propósito e nosso destino.

“Todos pecamos.”

O sentimento de culpa que pode ou não vir acompanhado da vergonha, é uma grande arma que o inimigo usa para nos paralisar. Podemos sentir medo de que nos “descubram”, descubram quem somos ou o que fizemos e esse sentimento nos estaciona, se deixarmos.

Todos pecamos e estamos destituídos da glória de Deus (Romanos 3:23). Não há um sequer em toda essa terra que não tenha cometido pecado, além de Jesus Cristo.

Jesus, nosso substituto. Não é maravilhoso saber que quando você aceita Jesus como seu Salvador e passa a viver para agradá-lo, buscando saber tudo o que você pode fazer para ser tudo o que ele morreu para que você fosse, Deus te olha e vê a Cristo?

Você passa a ser uma nova criatura, recebe o perdão dos seus pecados, eles foram apagados agora. Mas ás vezes, alguns deles voltam para nos assombrar, não é mesmo?

Onde estão os seus pecados?

“Tornará a ter compaixão de nós; sujeitará as nossas iniquidades, e tu lançarás todos os seus pecados nas profundezas do mar. ”

Miqueias 7:19

Gosto muito de pensar que meus pecados estão nas profundezas do mar e que Deus não se lembra mais deles:

“Eu, eu sou o que apago completamente tuas transgressões por amor de mim mesmo, e não me lembrarei dos teus pecados.”

Isaías 43:25

Quando nascemos de novo, recebemos uma “ficha limpa”. Temos a plena convicção de tudo o que fizemos de errado e dentro de nós nasce aquela tristeza por termos feitos coisas que machucaram o coração do nosso Pai. Mas quando pedimos perdão, precisamos acreditar no que esses dois versos dizem. 1) Deus lança nossos pecados nas profundezas e 2) não se lembra mais deles.

Se Deus esqueceu, por que ainda lembramos? Por que deixamos que o inimigo venha nos acusar e nos desanimar? Chega um momento, amiga, em que precisamos aprender a perdoarmos a nós mesmas e então seguir em frente, em liberdade!

“Firmemo-nos, portanto, na liberdade com que Cristo nos libertou; não nos submetamos outra vez ao jugo da escravidão”.

Gálatas 5:1

O jugo da escravidão que o texto fala não tem a ver apenas com buscarmos praticar obras para alcançar alguma coisa perante Deus mas também de não nos deixarmos escravizar pelas mentiras de Satanás. Sejam mentiras relacionadas ao fato de querermos ter algum mérito perante o Senhor ou a mentira de que somos imperdoáveis, de que nunca poderemos ter uma vida renovada por causa do nosso passado.

É só um capítulo, não o livro todo.

Nosso passado é apenas um capítulo da nossa história. O ponto da virada, quando tudo muda, chega no momento em que aceitamos a Cristo na nossa vida, abrimos cada pedacinho dela para ele tomar conta e ir nos mostrando o que precisa de arrependimento, de uma reforma, de uma limpeza e o que tem que ser jogado fora. A partir daí nossos capítulos vão sendo escritos por nosso novo Pai juntamente com a nova mulher que surgiu!

Abandonar a culpa e a vergonha é aceitar que você não era merecedora de nada mas recebeu tudo. Aceitar que não é mais preciso viver uma vida de escravidão, obedecendo a cada mentira que Satanás sussurra em seu ouvido, fazendo com que você se coloque no cantinho da sala, escondida, diminuída. É tempo de aceitar que aquilo que você viveu pode ser a sua mensagem para o mundo!

Já pensou que a sua dificuldade, aquilo no qual você errou e sofreu pode ser a exata arma que Deus está te dando para abençoar a vida de outras pessoas?

Esqueça os seus erros, minha irmã! Isso não vai te fazer uma pecadora inveterada daqui para a frente, isso vai te libertar! O que ficou para trás é nada. Foi apagado. Daqui para a frente não há mais espaço para a culpa e a vergonha na sua vida mas para o perdão e a liberdade de ser quem você foi criada para ser!

Não permita que esse fardo te coloque para baixo mas se livre dele e brilhe, brilhe muito! Conta pra todo mundo o que seu novo Pai fez na sua vida e o inimigo não terá mais poder para te acusar!

Espero que suas costas estejam mais leves!

Até breve, irmã!

Com carinho,

Andressa.

Me siga nas redes sociais!

Quando Deus escreve sua história de amor.

Essa podia ser a resenha de um livro que leva o mesmo nome mas na verdade é a narrativa da minha história de amor escrita por Deus.

Tudo começou em 2015 e o desfecho da história durou 1 ano e meio para acontecer. Quando olho pra trás vejo que foi muito rápido mas quando estava vivendo parecia uma eternidade.

Eu morava em Curitiba com uma amiga. Estava no 2º ano da faculdade e de repente surgiu aquela vontade de reler um livro que eu tinha ganhado da minha tia em 2011. “Quando Deus escreve sua história de amor” de Eric e Leslie Ludy. Em 2011 a ideia do livro não fez sentido nenhum pra mim. Eu não estava pronta pra receber aquela mensagem e muito menos a benção de ter uma história escrita por Deus. Eu era como a dracma da parábola: Perdida dentro de casa. Mas em 2015 as coisas eram bem diferentes.

Pra contextualizar preciso dizer que nunca fui boa com essa coisa de “conhecer pessoas” no sentido romântico da palavra. Sempre me achei bem inadequada e nunca sabia interpretar sinais e transmitir sinais para o sexo oposto. Eu não fazia ideia como eu namoraria alguém sendo como eu era. Depois percebi que não ser super experiente nisso era muito mais uma benção do que uma maldição. Deus cuida de tudo. No começo de 2015 eu resolvi que queria ser diferente, fazer amizades com rapazes, conhecê-los e etc. Não deu muito certo. No mesmo ano, em abril, eu passei por uma cirurgia na boca para consertar a minha arcada dentária. Aquele foi um baita golpe na minha auto estima que não era das melhores. Só pra descrever por cima, depois da cirurgia eu tive que começar a “ativar” o expansor que eu tinha no céu da boca. Se você já usou um desses quando criança sabe que esse aparelho faz com que a arcada dentária se expanda. Quando você é criança é tranquilo mas quando você tem 24 anos, mora longe de casa e faz faculdade, ter um aparelho na boca que faz seus 2 dentes da frente se separarem a ponto de ficarem uns 5 milimetros longe um do outro, é bem complicado. Imagine você com aquele baita espaço entre os dentes…da frente. Ok, esse plano de conhecer rapazes foi adiado e a recuperação dessa cirurgia durou meses. Na metade de 2015 eu quis reler aquele livro. Só posso dizer que AMEI a leitura!

O livro é dividido em capítulos escritos por Eric e Leslie. Em 2011 eu me lembro de ter detestado os da Leslie mas em 2015 eles se tornaram os meus capítulos preferidos! Percebi que eu já fazia muito do que eles descreviam no livro mas sem um propósito. Foi então que eu descobri o grande propósito que Deus tinha para essa área da minha vida. Eu não precisava ficar ansiosa tentando encontrar a pessoa certa. Meu Pai celestial tinha UM homem separado pra mim, em algum lugar e se eu permitisse que Ele me ajudasse a escolher, Ele nos uniria. Então, como um convite dentro do meu coração, eu aceitei esse chamado e passei a esperar pela direção de Deus.

Foram altos e baixos. Tive que aprender muita coisa. Muita coisa aconteceu ao mesmo tempo, quando esperava pelo meu futuro marido. Comecei a orar por ele sem nem mesmo saber quem era ou se ele existia (Vai que Deus não tinha o casamento escrito na minha história?) Mas orava todos os dias, pedindo bençãos e forças para ele. Descrevia as boas qualidades que eu esperava que ele tivesse, dizia sempre que eu queria ver Jesus nesse homem.

Jesus, ele é o grande ponto. Ao esperar pelo meu marido, o meu relacionamento com Cristo cresceu muito. Eu passei a conhecê-lo mais de perto, a amá-lo, a ver o quão cavalheiro ele era. Chegou um momento desse relacionamento em que eu senti no meu coração que ainda que eu não me casasse, eu estava satisfeita com meu Jesus. Ele supria tudo. Foi uma época maravilhosa da minha vida. Foi a mesma época em que comecei esse blog!

Esperar pelo futuro marido não tinha nada a ver com inércia, muito pelo contrário, foi uma época de grande atividade, principalmente espiritual, voltada a igreja. Em 2016 precisei sair da faculdade, voltei a morar com meus pais no interior e como eles são os líderes na nossa igreja aqui, me tornei muito mais ativa, ajudando a eles em tudo que precisavam. Sempre gostei de música e cantei, então me tornei responsável pelos louvores. Em 2016 foi quando preguei meu primeiro sermão. Me tornei professora da classe dos adolescentes, criei um projeto para ajudar outras meninas a também esperarem em Deus por seus futuros maridos e estava bem, bem ativa em tudo. Era como se eu tivesse entrado na escola de treinamento de Deus.

Assim, foi natural que eu atendesse ao convite do meu pastor de ir para a Missão Calebe em janeiro de 2017. A Missão Calebe é um programa da igreja adventista em que jovens e adolescentes doam 15 dias de suas férias para ir a outra cidade servirem a comunidade. Aquela foi a primeira vez que tive vontade de participar desse projeto que já estava na sua 7ª edição. Fomos para uma cidade que fica há uns 50 km de onde moro e lá encontramos jovens e adolescentes que tinham vindo de outra cidade, que fica mais longe daqui, há 200 km. Para eles era novidade estar lá, cidade nova, longe da família. Para mim, que já conhecia os irmãos da igreja local, estava bem confortável. Eu sabia que podia contar com eles e estava lá com um desejo muito forte de servir.

Como você já pode estar imaginando, foi servindo nessa missão que conheci o meu futuro marido. Se contar cada detalhe o post ficará enooorme mas em resumo posso dizer que Deus respondeu a cada pedido que fiz. Ele é tão bom! Um pedido especial que fiz era que quando meu futuro marido chegasse, eu não queria olhar pra ele e pensar: “Será esse?” Porque eu tinha feito muito isso em meu tempo de espera e me frustrado também. Maravilhoso perceber que Deus respondeu a isso lindamente. A verdade é que quando vi meu futuro marido pela primeira vez, não pensei nada. Quando tive o primeiro contato mais de perto com ele, também não pensei nada. Por muitos dias dessas 2 semanas, eu simplesmente levei tudo numa boa, apenas passando bons momentos conversando com esse rapaz que eu tinha conhecido ali e que gostava de cantar como eu, o que descobrimos logo no segundo dia, no nosso primeiro contato mais de perto, quando lavamos a louça juntos. Deus nos atraiu um para o outro sem precisar de nenhuma interpretação de sinal ou habilidade em assuntos amorosos. Nada me faltava. Eu estava sendo apenas eu e isso bastou.

Deus é tão incrível! Lembre sempre disso! Ele é incrível demais! Ficamos ansiosas e com medo de não sabermos o que fazer ou dizer mas quando deixamos que Deus escreva a nossa história de amor, Ele é quem decide o roteiro. Ele é quem te dá as falas. Você naturalmente faz tudo o que deve fazer. Deus colocou no coração do meu Matheus o interesse por mim. Eu não tive que fazer nada, eu realmente não me esforcei. Mas ele sim…Esse era outro pedido que eu havia feito a Deus. Eu queria que meu futuro marido fosse até Deus pedir pelo meu coração e foi o que o Matheus fez. Ele orou a Deus sobre isso. Ele pediu oração aos amigos sobre isso. Ele se levantou de madrugada algumas vezes para orar com outros amigos e pediu oração nessas horas também. Eu não fazia nem ideia.

Me dei conta que havia algo de especial entre nós na metade da segunda semana. Faltavam apenas alguns dias para irmos embora. Ele já havia conhecido meus pais quando eles foram participar de um feira de saúde que a missão promoveu. Minha mãe havia gostado dele e percebido que havia algo ali, quando nem eu mesma tinha visto. Quando já no fim da segunda semana pedi a ela que orasse por nós, ela me disse, por mensagem, que já estava orando desde domingo. Ela me deu todo o apoio para aceitar o pedido que chegou no penúltimo dia…”Você quer namorar comigo?” E isso fez toda a diferença! Saber que os nossos pais apoiam e concordam com um relacionamento nosso é muito importante! Eles tem sensores que nós não temos, Deus deu a eles sabedoria. Quando eles são tementes a Deus então, tudo isso se maximiza. Deus os guia, Deus os mostra se aquele relacionamento é o melhor.

No último dia da missão, quando meus pais foram me buscar e ele estava voltando para a sua cidade com os outros jovens, ele pediu minha mão em namoro para meu pai. Foi um momento de tensão e ansiedade. Meu pai é uma figura bem tranquila. Nunca foi ciumento mas eu estava preocupada. Era a primeira vez que alguém pedia minha mão em namoro para os meus pais e foi tão especial! Meu pai abriu um sorriso e disse: “Que legal!” bem ao estilo Valdeci de ser. O gelo foi quebrado e então, oficialmente, passamos a ser namorados, Matheus e eu.

Mas pera, eu esperava pelo meu futuro marido e não apenas por um namorado! Deus guiou essa próxima fase de maneira maravilhosa também. Nunca precisei dizer ao Matheus que eu queria casar, que não estava querendo apenas passar tempo com um namoro bobo. No mesmo dia em que começamos a namorar, 29 de Janeiro de 2017, ao voltar embora, ele escreveu uma nota no celular: “Casar logo“. Deus já havia colocado aquele propósito no coração dEle e nos levou, com a sua graça, ao altar em 29 de Outubro do mesmo ano. Sim, no dia em que completamos 9 meses de namoro, nós nos casamos. Sabíamos que não tínhamos porque esperar. Deus tinha colocado em nossos corações a certeza de que Ele havia nos unido, então, quando o trabalho fixo para o Matheus chegou, estava tudo pronto para que nos casássemos e aqui estamos, comemorando nosso primeiro 29 de Fevereiro!

É como voltar no tempo e comemorar 1 mês de namoro depois de 3 anos. Deus tem nos sustentado e mostrado a bondade dEle para nós. Nos tem guiado, puxado nossa orelha quando necessário, nos ajudado a amar e repeitar um ao outro e ter sempre em mente que nosso relacionamento tem como objetivo a glória dEle!

Como resumir uma história de amor escrita por Deus? Ela merece páginas e páginas. Ela merece ser contada porque é como um lembrete de esperança: Deus tem mais histórias para escrever. Porque não ser a sua? É só você deixar a caneta nas mãos dEle. “Ele é sábio demais para errar e bom demais para nos causar dano!” Acredite, Ele te ama! Ele quer tantas coisas lindas pra você!

Você vai deixar Deus escrever sua história de amor?

Abandone o Fardo: Procrastinação.

Ai essa palavra comprida e complicada de falar!

PRO-CRAS-TI-NA-ÇÃO. Grandona assim, ela dá nome a um fardo tão mas tão pesado que literalmente, puxa a gente pra trás!

Eu considero a procrastinação um fardo porque ela pode pesar tanto nas nossas costas quando vamos deixando as coisas por fazer, pra depois, pra semana que vem, pro próximo mês que ela acumula frustração, sentimento de impotência e estagnação.

A definição de procrastinar é “adiamento, demora, delonga“.

Foto por VisionPic .net em Pexels.com

Uma vez ouvi uma frase que dizia: “Toda procrastinação é medo”. Isso me fez pensar…Talvez a gente deixe coisas para depois porque temos medo do que pode acontecer se de repente começarmos a fazer coisas, produzir coisas, lançar nossas ideias no mundo e automaticamente ter pessoas respondendo a nossas ideias, querendo se aproximar, querer mais do que fazemos, precisarem de nós.

Talvez tenhamos medo das nossas próprias ideias, da nossa própria criatividade. Talvez seja mais cômodo apenas reclamar que não temos tempo e não enfrentar a verdade: Não estamos sabendo administrar ele direito, nossas prioridades estão todas erradas e procrastinar é o caminho mais “fácil”.

Mas sabe, não acho que esse caminho seja fácil realmente…Se você tem o hábito de procrastinar (assim como eu), sabe que muitas vezes o sentimento de frustração vem e vem bem pesado. É um sentimento ruim de impotência. Temos tanto em mente e apenas não conseguimos fazer aquilo acontecer. Seja lançar uma ideia no mundo, um novo negócio ou limpar a geladeira que você já percebeu há mais de 1 mês que está bem suja e precisando de um cuidado, tudo isso, quando deixado pra depois e depois, só vai causando um sentimento muito ruim. Como acumular sentimentos ruins pode ser fácil? Ter essa sensação frequente de que não conseguir realizar nada do que se propõe logo que é preciso ser feito?

Talvez a procrastinação e o perfeccionismo sejam amigos secretos. Falo por mim. Juntando o perfeccionismo que me faz pensar em tantas coisas que não “estão certas” fica até fácil ir deixando para depois e aí acumulando aquela sensação de impotência.

Foto por Retha Ferguson em Pexels.com

Além do acúmulo de tarefas! Quem nunca se viu atolada com mil coisas pra fazer por ter deixado tudo pra última hora? Parece que dá até uma adrenalina ter tanta coisa pra fazer e conseguir no último minuto mas…Será que a gente consegue mesmo? Muitas vezes fiz isso, deixei pro último instante e aí, mais uma vez, lá estava eu pensando que poderia ter tido um resultado tão melhor se tivesse me organizado, usado melhor meu tempo e me focado no que precisava ser feito, antes do tempo acabar.

Mas ok, vamos falar de algumas soluções? A gente precisa aprender a abandonar esse fardo, né? E precisamos pra já! Melhor ainda poder aprender com a Bíblia. Olha o que encontramos em Isaías:

Foto por Acharaporn Kamornboonyarush em Pexels.com

Quando o agricultor ara a terra para o plantio, só faz isso o tempo todo? Só fica abrindo sulcos e gradeando o solo? Depois de nivelado o solo, ele não semeia o endro e não espalha as sementes do cominho? Não planta o trigo no lugar certo, a cevada no terreno próprio e o trigo duro nas bordas? O seu Deus o instrui e lhe ensina o caminho. Não se debulha o endro com trilhadeira, e sobre o cominho não se faz passar roda de carro; tira se o endro com vara, e o cominho com um pedaço de pau. É preciso moer o cereal para fazer pão; por isso ninguém o fica trilhando para sempre. Fazem passar as rodas da trilhadeira sobre o trigo, mas os seus cavalos não o trituram. Isso tudo vem da parte do Senhor dos Exércitos, maravilhoso em conselhos e magnífico em sabedoria.

Isaías 28:24-29

Gosto tanto desse verso! Ele fala sobre ação lógica, em sequência. Ás vezes nós fazemos apenas uma coisa, com medo de avançarmos e fazer o que é preciso para o próximo nível. Deus na sua Sabedoria nos ensina o que precisamos saber. Ele não ensina apenas a cultivar a terra mas TUDO!

Amiga, você e eu precisamos acreditar nisso! Deus é maravilho em conselho e ainda que tenhamos medo dos próximos passos e empaquemos em uma atividade só, evitando o que precisamos fazer a seguir, Ele nos dará forças e ao longo do processo, o conhecimento que precisamos para avançar, para semear e também para colher, para que nosso trabalho seja completo! Você sabe que glorificamos a Deus com as nossas conquistas, não sabe? Nós, que nos denominamos cristãs, aprendizes e imitadoras de Cristo, com certeza não achamos que o mérito é nosso porque sabemos que tudo que temos e somos vem de Deus.

Procrastinar nos limita, nos impede, nos joga para trás. Abandone esse fardo, amiga! Entenda o motivo pelo qual esses adiamentos tem acontecido com você. Faça uma reunião com você mesma e analise seu coração. Peça então a Deus para te libertar do que te amarra. Não tenha medo de pedir isso e nem deixe isso pra depois! Eu prometo que vou fazer o mesmo aqui!

Te vejo na próxima e espero muito que com o fardo mais leve!

Com carinho,

Andressa.

Vamos falar sobre influência?

Post 11

Nos últimos meses eu tenho recapitulado a história dos reis de Israel e de Judá. Começando no livro de 1 Samuel, prosseguindo em 2 Samuel,  1 Reis, 2 Reis, 1 Crônicas e 2 Crônicas a gente percebe facilmente que o povo de Deus passou por altos e baixos em relação aos seus governantes. Ao lermos os relatos, o primeiro rei, Saul, já foi um péssimo exemplo. Ele começou bem, vemos que foi Deus quem o escolheu mas ele usou mal o seu livre arbítrio e começou a se afastar do Senhor, chegando até a consultar uma necromante, algo que Deus havia terminantemente proibido. (Leia essa história em 1 Samuel 28)

Davi, por sua vez, escolheu ser diferente. Ele se agradava de seu Deus, o amava de todo coração mas em um momento de fraqueza também teve seus erros. O adultério com Bate-Seba e o assassinato de Urias foram dois deslizes graves de Davi. Mas após o seu arrependimento e mudança de atitude, ele foi chamado de “o homem segundo o coração de Deus”. Vemos que ele se arrependeu profundamente e tomou um rumo diferente em sua vida e fez o que era reto perante os olhos de Deus. Após a morte de Davi, um de seus filhos com Bate-Seba, Salomão, foi aquele que herdou o trono. Jovem demais para se sentir seguro em relação a nova posição, Salomão pede sabedoria a Deus e recebe. Mas ele não usa sua sabedoria de forma realmente sábia. Salomão se perde no meio do caminho e deixa que o orgulho por tudo o que ele havia conquistado manchasse seu coração e nublasse sua visão, fazendo-o pensar que tudo aquilo se devia ao seu próprio poder e capacidade. Ele se casa com mulheres de povos estrangeiros, adora deuses pagãos e constrói templos e altares para esses deuses em Jerusalém.

Por causa da grande transgressão a que Salomão tinha exposto o povo de Israel, fazendo com que o povo pecasse contra Deus, é dada uma profecia. O reino seria dividido em dois. 10 tribos formariam o reino de Israel e 2 ficariam como reino de Judá. E isso acontece no reinado de Roboão, filho de Salomão. Instado pelo povo a ser um rei mais benigno que seu pai, Roboão procura aconselhar-se com os anciãos da terra que o dizem para ganhar o favor do povo, diminuindo os impostos. Não muito contente com esse conselho, ele então procura seus amigos mais jovens que o aconselha a não fazer aquilo que o povo quer mais aumentar os impostos e a ser mais rígido que Salomão. E aí começa a grande lição sobre influência na história dos reis da Bíblia…

Na verdade, a má influência começa antes deles sequer terem um rei. Ao verem que os povos vizinhos possuíam reis e eles não, o povo de Israel pede para terem um governante na terra. Deus era o rei daquele povo mas ao invés de influenciarem as nações que os circundavam e mostrarem o poder de Deus para livrá-los, eles se deixaram influenciar e não quiseram mais Deus como o único governante em suas vidas. E então Salomão chega ao trono. Ele expôs o povo a uma idolatria tão grande, que fez com que eles, que já tinham tendência a se desviarem, a irem mais fundo no pecado. Ao invés de usar de sua posição para aproximar as pessoas do Deus verdadeiro, ele permitiu que os deuses de suas mulheres estrangeiras entrassem no seu coração e na sua terra e a contaminasse. Salomão foi influenciado por mulheres e influenciou o povo a adorar a deuses pagãos. Roboão, por sua vez, foi influenciado por seus amigos. Ao invés de dar ouvidos aos sábios anciãos, ele escolheu fazer aquilo que ele pensava ser o mais correto e não demonstrar misericórdia ao povo. O preço dessa atitude foi um reino dividido. Jeroboão aparece na história como uma espécie de salvador. O povo se une a ele e apenas as tribos de Judá e Benjamin permanecem fiéis a linhagem de Davi.

Jeroboão poderia ter guiado o povo de volta a adoração ao Deus verdadeiro mas ele também escolheu seguir por outros caminhos…Com medo de perder pessoas do povo toda vez que fossem a Jerusalém adorar a Deus no templo, ele resolve então fazer um bezerro de ouro e intitulá-lo como “deus de Israel” fazendo com que o povo mais uma vez fosse guiado na direção errada e usando de sua grande influência para o mal.

A lista de reis continua e as coisas não são bonitas de se ver. A maioria dos reis de Israel foram maus e não usaram de sua influência para aproximar o povo do Deus que os havia libertado e cuidado deles por todos aqueles anos. Isso não te faz pensar no peso da influência? Um fato que fica bem claro é que quando o povo teve bons reis no comando, que serviam ao Deus verdadeiro, eles foram levados a adorar a Deus também e a abandonar os ídolos mas quando o rei era mau perante os olhos de Deus, o povo também era mau pois via em seu governante um exemplo a ser seguido e “se o rei está fazendo isso, talvez não seja errado que nós façamos também, certo?”

Por causa da desobediência e dureza de coração dos reis para com a vontade de Deus, por não ouvirem as advertências dos profetas e se arrependerem de seus pecados, o reino de Israel foi levado cativo pelos Assírios e todo o povo pagou o preço. Isso me faz pensar muito na responsabilidade que temos pelos nossos atos. Quando estamos em uma posição de liderança, seja ela qual for, somos responsáveis por aqueles que influenciamos. É claro que nem todo o povo era idólatra mas pelo afastamento dos reis e dos líderes espirituais dos caminhos de Deus, já não era fácil encontrar a palavra sagrada sendo lida e vivida naqueles dias. Todo, todo o povo sofreu.

Judá por sua vez teve reis melhores. Ezequias é um dos meus favoritos! Ele fez o que era reto perante o Senhor e o seu compromisso com Deus fez com que todo o povo se convertesse! Ezequias reabriu o templo e ordenou que ele fosse purificado de todas as imundícias que tinham sido colocados nele e um de seus atos que eu mais gosto, foi a celebração da Páscoa. Isso mexeu com a vida do povo. Mesmo sabendo que eles não estavam com a vida espiritual em situação agradável a Deus, ele orou por aqueles que estavam sob seu comando e tamanha foi a transformação ocorrida que o povo não conseguia parar de adorar a Deus! Passaram 2 semanas louvando e adorando ao Deus verdadeiro. Eles mesmo derrubaram os altares e postes-ídolos que ainda haviam e se livraram de suas imagens de escultura. Todo o povo se converteu a Deus novamente e eu imagino a grande felicidade que invadiu o coração do rei e do nosso Rei dos Reis ao ver tal cena! (Essa história maravilhosa está em 2 Crônicas 29, 30, 31 e 32)

Tudo o que o povo precisava era de um líder que vivesse a verdade de maneira comprometida. Tudo o que o mundo precisa hoje é do mesmo tipo de líder. Alguém que saiba distinguir o certo do errado e tenha coragem para se por do lado certo e acima de tudo, viver pelo lado certo. Saber escolher um bom líder também é importante. Para quem você olha? Em quem está se inspirando? Hoje não somos governados por reis que são tidos como exemplos de conduta mas somos muitas vezes influenciados por “ídolos” que se tornaram o novo modelo de como se comportar/se vestir/se relacionar e nem nos preocupamos muito se essa pessoa para quem olhamos, olha pra Jesus. Essa pessoa te aproxima de Deus? Quando você para um pouquinho para analisar os frutos da vida dela, são frutos que se parecem com os frutos que o Espírito Santo daria? Frutos de pureza, de adoração a Deus, de humildade, de compaixão? Ou são frutos de ostentação, orgulho próprio, rebeldia, sensualidade?

Quem você influencia? Algumas vezes nós podemos pensar que só porque não estamos em uma posição de liderança, não influenciamos ninguém mas isso não é bem verdade. Como cristãos já estamos em uma vitrine quer queiramos ou não. Somos espetáculo pro mundo e eles esperam ver o pior em nós para nos julgarem e o que é pior, julgarem nosso Deus. Mas existem aqueles que esperam com ansiedade por ver o melhor. Para verem que ainda há esperança em um meio em que diz que ama e serve a Jesus. Existe uma frase que diz: “Cuidado com a forma com a qual você vive, talvez você seja a única Bíblia que algumas pessoas irão ler”. E a responsabilidade por isso é enorme! Ás vezes você pode influenciar apenas seu irmãozinho mais novo mas isso não deixa de ser uma grande responsabilidade. A verdade é que todos estão nos olhando. Nossos amigos, familiares, pessoas que convivem conosco mas com quem nunca trocamos uma palavra podem olhar a nossa conduta e se inspirar nela. O problema é quando “não nos importamos com o que os outros vão pensar” e vivemos a nossa vida de forma irresponsável, nos esquecendo que estamos aqui para refletir a luz de Cristo ao mundo e para que essa luz seja melhor refletida, é preciso que nós conheçamos a Cristo de verdade e saibamos quais são os frutos que ele deseja que nós tenhamos em nossa vida.

O mundo precisa de pessoas de coragem. O mundo precisa de cristãos de coragem. Que vivam aquilo em que acreditam e que não tenham vergonha de abandonar qualquer ídolo que o afasta de Deus. Que faça de Jesus o primeiro. Que o faça de modelo e que inspire outras pessoas a terem boas atitudes. Atitudes nobres geram outras atitudes nobres. Depende de nós querer começar a levar as pessoas ao encontro de nosso Salvador Jesus. Te pergunto mais uma vez: Quem você influencia? Pense nessas pessoas. Pense nas pessoas que estão ao seu redor. Pense em como Jesus as trataria, em como Jesus cuidaria delas, em como Jesus as amaria e tente fazer igual. Antes de tudo, peça a Jesus para te ajudar a ser um bom influenciador. As influências para o bem ainda existem. Entre na lista daqueles que fizeram o que “era reto perante o Senhor”!