Quando Deus escreve sua história de amor.

Essa podia ser a resenha de um livro que leva o mesmo nome mas na verdade é a narrativa da minha história de amor escrita por Deus.

Tudo começou em 2015 e o desfecho da história durou 1 ano e meio para acontecer. Quando olho pra trás vejo que foi muito rápido mas quando estava vivendo parecia uma eternidade.

Eu morava em Curitiba com uma amiga. Estava no 2º ano da faculdade e de repente surgiu aquela vontade de reler um livro que eu tinha ganhado da minha tia em 2011. “Quando Deus escreve sua história de amor” de Eric e Leslie Ludy. Em 2011 a ideia do livro não fez sentido nenhum pra mim. Eu não estava pronta pra receber aquela mensagem e muito menos a benção de ter uma história escrita por Deus. Eu era como a dracma da parábola: Perdida dentro de casa. Mas em 2015 as coisas eram bem diferentes.

Pra contextualizar preciso dizer que nunca fui boa com essa coisa de “conhecer pessoas” no sentido romântico da palavra. Sempre me achei bem inadequada e nunca sabia interpretar sinais e transmitir sinais para o sexo oposto. Eu não fazia ideia como eu namoraria alguém sendo como eu era. Depois percebi que não ser super experiente nisso era muito mais uma benção do que uma maldição. Deus cuida de tudo. No começo de 2015 eu resolvi que queria ser diferente, fazer amizades com rapazes, conhecê-los e etc. Não deu muito certo. No mesmo ano, em abril, eu passei por uma cirurgia na boca para consertar a minha arcada dentária. Aquele foi um baita golpe na minha auto estima que não era das melhores. Só pra descrever por cima, depois da cirurgia eu tive que começar a “ativar” o expansor que eu tinha no céu da boca. Se você já usou um desses quando criança sabe que esse aparelho faz com que a arcada dentária se expanda. Quando você é criança é tranquilo mas quando você tem 24 anos, mora longe de casa e faz faculdade, ter um aparelho na boca que faz seus 2 dentes da frente se separarem a ponto de ficarem uns 5 milimetros longe um do outro, é bem complicado. Imagine você com aquele baita espaço entre os dentes…da frente. Ok, esse plano de conhecer rapazes foi adiado e a recuperação dessa cirurgia durou meses. Na metade de 2015 eu quis reler aquele livro. Só posso dizer que AMEI a leitura!

O livro é dividido em capítulos escritos por Eric e Leslie. Em 2011 eu me lembro de ter detestado os da Leslie mas em 2015 eles se tornaram os meus capítulos preferidos! Percebi que eu já fazia muito do que eles descreviam no livro mas sem um propósito. Foi então que eu descobri o grande propósito que Deus tinha para essa área da minha vida. Eu não precisava ficar ansiosa tentando encontrar a pessoa certa. Meu Pai celestial tinha UM homem separado pra mim, em algum lugar e se eu permitisse que Ele me ajudasse a escolher, Ele nos uniria. Então, como um convite dentro do meu coração, eu aceitei esse chamado e passei a esperar pela direção de Deus.

Foram altos e baixos. Tive que aprender muita coisa. Muita coisa aconteceu ao mesmo tempo, quando esperava pelo meu futuro marido. Comecei a orar por ele sem nem mesmo saber quem era ou se ele existia (Vai que Deus não tinha o casamento escrito na minha história?) Mas orava todos os dias, pedindo bençãos e forças para ele. Descrevia as boas qualidades que eu esperava que ele tivesse, dizia sempre que eu queria ver Jesus nesse homem.

Jesus, ele é o grande ponto. Ao esperar pelo meu marido, o meu relacionamento com Cristo cresceu muito. Eu passei a conhecê-lo mais de perto, a amá-lo, a ver o quão cavalheiro ele era. Chegou um momento desse relacionamento em que eu senti no meu coração que ainda que eu não me casasse, eu estava satisfeita com meu Jesus. Ele supria tudo. Foi uma época maravilhosa da minha vida. Foi a mesma época em que comecei esse blog!

Esperar pelo futuro marido não tinha nada a ver com inércia, muito pelo contrário, foi uma época de grande atividade, principalmente espiritual, voltada a igreja. Em 2016 precisei sair da faculdade, voltei a morar com meus pais no interior e como eles são os líderes na nossa igreja aqui, me tornei muito mais ativa, ajudando a eles em tudo que precisavam. Sempre gostei de música e cantei, então me tornei responsável pelos louvores. Em 2016 foi quando preguei meu primeiro sermão. Me tornei professora da classe dos adolescentes, criei um projeto para ajudar outras meninas a também esperarem em Deus por seus futuros maridos e estava bem, bem ativa em tudo. Era como se eu tivesse entrado na escola de treinamento de Deus.

Assim, foi natural que eu atendesse ao convite do meu pastor de ir para a Missão Calebe em janeiro de 2017. A Missão Calebe é um programa da igreja adventista em que jovens e adolescentes doam 15 dias de suas férias para ir a outra cidade servirem a comunidade. Aquela foi a primeira vez que tive vontade de participar desse projeto que já estava na sua 7ª edição. Fomos para uma cidade que fica há uns 50 km de onde moro e lá encontramos jovens e adolescentes que tinham vindo de outra cidade, que fica mais longe daqui, há 200 km. Para eles era novidade estar lá, cidade nova, longe da família. Para mim, que já conhecia os irmãos da igreja local, estava bem confortável. Eu sabia que podia contar com eles e estava lá com um desejo muito forte de servir.

Como você já pode estar imaginando, foi servindo nessa missão que conheci o meu futuro marido. Se contar cada detalhe o post ficará enooorme mas em resumo posso dizer que Deus respondeu a cada pedido que fiz. Ele é tão bom! Um pedido especial que fiz era que quando meu futuro marido chegasse, eu não queria olhar pra ele e pensar: “Será esse?” Porque eu tinha feito muito isso em meu tempo de espera e me frustrado também. Maravilhoso perceber que Deus respondeu a isso lindamente. A verdade é que quando vi meu futuro marido pela primeira vez, não pensei nada. Quando tive o primeiro contato mais de perto com ele, também não pensei nada. Por muitos dias dessas 2 semanas, eu simplesmente levei tudo numa boa, apenas passando bons momentos conversando com esse rapaz que eu tinha conhecido ali e que gostava de cantar como eu, o que descobrimos logo no segundo dia, no nosso primeiro contato mais de perto, quando lavamos a louça juntos. Deus nos atraiu um para o outro sem precisar de nenhuma interpretação de sinal ou habilidade em assuntos amorosos. Nada me faltava. Eu estava sendo apenas eu e isso bastou.

Deus é tão incrível! Lembre sempre disso! Ele é incrível demais! Ficamos ansiosas e com medo de não sabermos o que fazer ou dizer mas quando deixamos que Deus escreva a nossa história de amor, Ele é quem decide o roteiro. Ele é quem te dá as falas. Você naturalmente faz tudo o que deve fazer. Deus colocou no coração do meu Matheus o interesse por mim. Eu não tive que fazer nada, eu realmente não me esforcei. Mas ele sim…Esse era outro pedido que eu havia feito a Deus. Eu queria que meu futuro marido fosse até Deus pedir pelo meu coração e foi o que o Matheus fez. Ele orou a Deus sobre isso. Ele pediu oração aos amigos sobre isso. Ele se levantou de madrugada algumas vezes para orar com outros amigos e pediu oração nessas horas também. Eu não fazia nem ideia.

Me dei conta que havia algo de especial entre nós na metade da segunda semana. Faltavam apenas alguns dias para irmos embora. Ele já havia conhecido meus pais quando eles foram participar de um feira de saúde que a missão promoveu. Minha mãe havia gostado dele e percebido que havia algo ali, quando nem eu mesma tinha visto. Quando já no fim da segunda semana pedi a ela que orasse por nós, ela me disse, por mensagem, que já estava orando desde domingo. Ela me deu todo o apoio para aceitar o pedido que chegou no penúltimo dia…”Você quer namorar comigo?” E isso fez toda a diferença! Saber que os nossos pais apoiam e concordam com um relacionamento nosso é muito importante! Eles tem sensores que nós não temos, Deus deu a eles sabedoria. Quando eles são tementes a Deus então, tudo isso se maximiza. Deus os guia, Deus os mostra se aquele relacionamento é o melhor.

No último dia da missão, quando meus pais foram me buscar e ele estava voltando para a sua cidade com os outros jovens, ele pediu minha mão em namoro para meu pai. Foi um momento de tensão e ansiedade. Meu pai é uma figura bem tranquila. Nunca foi ciumento mas eu estava preocupada. Era a primeira vez que alguém pedia minha mão em namoro para os meus pais e foi tão especial! Meu pai abriu um sorriso e disse: “Que legal!” bem ao estilo Valdeci de ser. O gelo foi quebrado e então, oficialmente, passamos a ser namorados, Matheus e eu.

Mas pera, eu esperava pelo meu futuro marido e não apenas por um namorado! Deus guiou essa próxima fase de maneira maravilhosa também. Nunca precisei dizer ao Matheus que eu queria casar, que não estava querendo apenas passar tempo com um namoro bobo. No mesmo dia em que começamos a namorar, 29 de Janeiro de 2017, ao voltar embora, ele escreveu uma nota no celular: “Casar logo“. Deus já havia colocado aquele propósito no coração dEle e nos levou, com a sua graça, ao altar em 29 de Outubro do mesmo ano. Sim, no dia em que completamos 9 meses de namoro, nós nos casamos. Sabíamos que não tínhamos porque esperar. Deus tinha colocado em nossos corações a certeza de que Ele havia nos unido, então, quando o trabalho fixo para o Matheus chegou, estava tudo pronto para que nos casássemos e aqui estamos, comemorando nosso primeiro 29 de Fevereiro!

É como voltar no tempo e comemorar 1 mês de namoro depois de 3 anos. Deus tem nos sustentado e mostrado a bondade dEle para nós. Nos tem guiado, puxado nossa orelha quando necessário, nos ajudado a amar e repeitar um ao outro e ter sempre em mente que nosso relacionamento tem como objetivo a glória dEle!

Como resumir uma história de amor escrita por Deus? Ela merece páginas e páginas. Ela merece ser contada porque é como um lembrete de esperança: Deus tem mais histórias para escrever. Porque não ser a sua? É só você deixar a caneta nas mãos dEle. “Ele é sábio demais para errar e bom demais para nos causar dano!” Acredite, Ele te ama! Ele quer tantas coisas lindas pra você!

Você vai deixar Deus escrever sua história de amor?